Após uma semana de intensos rumores, a venda do popular repositório GitHub para a Microsoft foi confirmada pelas duas empresas (veja aqui e aqui). De acordo com Satya Nadela, presidente da gigante de Redmond, "a Microsoft é uma empresa que dá prioridade aos desenvolvedores, e ao juntar forças com o GitHub, nós fortalecemos nosso comprometimento para com a liberdade do desenvolvedor, abertura e inovação". A empresa vai adquirir o GitHub por US$ 7,5 bilhões, em forma de ações na companhia. A aquisição deverá ser concluída no final do presente ano fiscal nos EUA.

 

 

No entanto, a notícia preocupou usuários, entusiastas e ativistas do software livre e open source, que não vêem a fusão com bons olhos, dado as atitudes passadas da empresa. Pouco após o anúncio oficial, a empresa concorrente GitLab anunciou no Twitter que estava vendo uma quantidade de migrações diárias de repositórios do GitHubn para o seu serviço dez vezes maior do que o normal. Os desenvolvedores do popular software livre de edição de imagens Gimp também anunciou a migração para esse serviço. O Sourceforge, que já foi uma referência e teve uma fase ruim, também aproveitou para se apresentar como alternativa.

Motivos para desconfiar é o que não faltam, afinal estamos falando da empresa que, no passado, mais antagonizou a cena software livre e open source. Seria esse um movimento estratégico ou o prenúncio do fim de um grande serviço? Deixe sua opinião abaixo.