O DRM está causando discussões intensas nesta semana na lista de emails do FreeBSD... E não, o assunto não é Digital Rights Management mas Direct Rendering Manager e seus planos para o FreeBSD 12.

Tudo começou com um anúncio feito em 21 de Agosto que o DRM/DRM2 seria descontinuado do lançamento do FreeBSD 12.0(sendo movido para o ports). Para drivers DRM avançarem, usuários devem usar os pacotes graphics/drm-legacy-kmod para dispositivos muito antigos ou drm-stable-kmod / drm-next-kmod / drm-devel-kmod do FreeBSD ports, e os novos drivers Linux KPI seriam integrados ao FreeBSD numa implementação nova.

Depois deste anúncio tudo virou uma bola de neve e dentre as opiniões:

  • O próprio Matthew Macy que anunciou nas listas o fim ou moção para os ports do drm/drm2 acabou tendo que explicar porque o commit foi revertido. A frustração que gerou a discussão é a de que o pessoal do RE e core falaram que esta manobra não cumpria as melhores práticas, mas que tais práticas não estão documentadas e desde Maio deste ano os times vem conversando sobre o drm2 e ninguém do core se manifestou antecipadamente.
  • Responderam anonimamente ao Pete Wright que esta manobra é um subterfúgio para "relaxar" os padrões de implementação para que mais código de baixa qualidade vindo do Linux possa ser inserido no FreeBSD, tornando o projeto de certa forma um Frankenstein.
  • Michelle defendeu os devs que estão fazendo isto já que eles são "old hats" do projeto e possivelmente esta manobra não foi feita a reveria para a inserção de mais gambiarras.

Desta forma, a estabilidade tanto da pilha gráfica como das decisões do projeto vem sendo questionadas.

Esta discussão parece que vai longe. Siga o link de referência e as mensagens da maillist linkadas neste post.

Fonte: Phoronix